Inscreva-se

 

 

Futebol Nacional, Start Sports

BRASILEIRÃO 2017 – START SPORTS AWARDS

Escrito em: 28/12/2017 às 19:44   /   por   /   comentários (0)

E publicamos agora a terceira edição do Start Sports Awards, com a seleção do Brasileirão da Série A de 2017. O Corinthians ganhou com méritos e o resto da turma ficou numa lenga lenga danada. Palmeiras, Santos e Grêmio acompanharam o alvinegro do Parque São Jorge sem fustigá-lo efetivamente. O Cruzeiro chegou em quinto e lá ficou eternamente, ainda mais depois de ganhar a Copa do Brasil. O Vasco não jogou nada, mas foi à Libertadores. O Flamengo deixou para a última rodada a vaga na fase de grupos da competição. Ainda bem, pois título mesmo não veio de lugar nenhum.

Destaque positivo mesmo foi a Chapecoense, que arrancou da zona de rebaixamento para a Libertadores, um ano depois da tragédia que a devastou. Entre as decepções, o São Paulo que teve que lutar contra o rebaixamento e o Coritiba, que finalmente caiu. Mas o grande fiasco mesmo foram as quase nove vagas brasileiras na Libertas. É muito, gente. Não é possível que ninguém desconfia disso.

Vamos ao que interessa! O Blog Start Sports, como já é tradição, montou duas seleções do campeonato: uma que conta com os jogadores que mais apareceram nas 38 seleções da rodada, e outra que os integrantes da equipe do blog entendem contemplar os jogadores mais relevantes do campeonato.

Dessa vez, o resultado saiu no StartCast, com nomes surpreendentes até para nós da equipe. Vale à pena ouvir aqui.

Seleção por número de aparições na seleção da rodada

Vanderlei (Santos) – 5 Aparições nas rodadas: 02, 07, 09, 13 e 29.

E se você acha que nesse critério o goleirão do Santos ia nadar de braçada, se enganou. Ele entrou na seleção da rodada seis vezes, o mesmo número de vezes que o goleiro do Galo, Victor. No desempate, deu Vanderlei, pelos números do santista – mais defesas difíceis. Mas tava tudo bem se desse o Victor.

Marcos Rocha (Atlético-MG) – 4 Aparições nas rodadas: 17, 20, 27 e 36.

Outro empate. O lateral do Galo foi escalado quatro vezes, mesmo quantidade do lateral improvisado do São Paulo, Éder Militão. Sendo assim, preferimos escalar um lateral de ofício, no caso, o Marcos Rocha. Foram 22 nomes diferentes em 38 rodadas. Unanimidade não foi a tônica dessa posição.

Reinaldo (Chapecoense) – 7 Aparições nas rodadas: 16, 24, 25, 26, 29, 30 e 36.

A arrancada da Chapecoense colocou o Reinaldo na lateral esquerda. Ele superou Arana, que tinha sido escalado seis vezes no primeiro turno e nenhuma no segundo! Merecido.

Balbuena (Corinthians) – 7 Aparições nas rodadas: 07, 09, 12, 16, 17, 32 e 33.

Essa foi barbada. Balbuena formou a seleção da rodada por sete vezes. Como todos os corintianos, a maioria delas no primeiro turno. Foi o zagueiro mais seguro e ainda marcou seus gols.

Thiago Heleno (Atlético-PR) – 5 Aparições nas rodadas: 03, 19, 20, 34 e 36.

Sabemos que parece absurdo, mas deu Thiago Heleno. O defensor artilheiro do Atlético-PR entrou por pouco, graças a duas boas atuações na reta final, superando Réver, do Flamengo. Como foi a tônica do campeonato, pouca regularidade e boas atuações pontuais marcaram a posição.

Bruno Silva (Botafogo) – 7 Aparições nas rodadas: 02, 03, 07, 09, 20, 22 e 23.

Gols e muito bom futebol. Por merecimento Bruno Silva foi escalado sete vezes, sendo um dos três mais escalados. Pena que o Botafogo perdeu fôlego na reta final e não conseguiu colher mais frutos em sua boa temporada.

Ramiro (Grêmio) – 4 Aparições nas rodadas: 01, 05, 15 e 33.

Ramiro entrou para representar o Grêmio na seleção. O habilidoso volante empatou com Petros do São Paulo, mas levou vantagem no desempate. Curiosamente, formamos a mesma dupla de volantes do primeiro turno. Relembre.

Hernanes (São Paulo) – 6 Aparições nas rodadas: 17, 20, 23, 30, 31 e 32.

Meio campeonato bastou para Hernanes. Carregou o São Paulo e merecidamente entrou na seleção.

Diego (Flamengo) – 4 Aparições nas rodadas: 09, 20, 28 e 29.

Diego empatou com Otero – que apareceu nas últimas rodadas do campeonato – e no desempate levou a vaga no meio, graças a seu número superior de assistências e gols. Mas suas atuações foram bem pontuais, o que faz com que sua presenta no time seja estranha.

André (Sport) – 5 Aparições nas rodadas: 03,13, 15, 37 e 38.

Alguém tinha que salvar o Sport. Por isso, seus gols na reta final garantiram André, que chegou a disputar a artilharia, na seleção da rodada. Uma grande surpresa.

Jô (Corinthians) – 4 Aparições nas rodadas: 01, 14, 18 e 35.

Artilheiro e lembrado apenas quatro vezes. Mas ainda assim deu para Jô garantir seu lugar. Ele empatou com Trellez, do Vitória, Henrique Dourado, do Fluminense, e Lucca, da Ponte Preta.

Veja todas as seleções da rodada em nossa fanpage.

Craques da Seleção da Rodada

Os craques do campeonato tomando como base o número de escalações na seleção da rodada foram, Balbuena (Corinthians), Reinaldo (Chapecoense) e Bruno Silva (Botafogo), todos com 7 aparições.

Seleção do blog

Vandelei foi o goleiro, assim como na outra seleção. Não tem muito o que falar. Ele fechou o gol e fez um caminhão de milagres ao longo do campeonato. Se você quer entrar na seleção como goleiro, tenha uma defesa fraca na sua frente.

Nas laterais, Fagner e Guilherme Arana. Aqui, a lógica se fez mais presente. Os dois do Corinthians dominaram o as duas alas, principalmente no primeiro turno. No caso de Fagner, a concorrência foi muito irregular. Já Arana foi acossado por Reinaldo da Chepecoense, que foi lembrado juntamente com Diogo Barbosa, em virtude de seu segundo turno fraco.

Na dupla de zaga, uma grande unanimidade: Balbuena e Geromel. Na verdade essa foi a dupla de zaga de todas as seleções possíveis no Brasil. Não tem muito o que discutir. Geromel é unânime desde o ano passado. Já Balbuena foi uma grande surpresa. Não se esperava tanto.

No meio, muita qualidade. A dupla de volantes formada por Bruno Silva e Arthur. O botafoguense jogou muita bola, principalmente no turno. Já Arthur assumiu a posição de titular e mudou o time do Grêmio. Jogou poucas partidas, mas com uma qualidade gritante! Muita técnica e um ajuste de jogo que pouco se via. Saída de bola qualificada dos dois lados. Na meia, o “profeta” Hernanes, unânime entre todos do blog, e Thiago Neves. O cruzeirense jogou com muita eficiência, caprichou nas assistências e teve o melhor aproveitamento em finalizações dentre todos os jogadores. Já o são paulino carregou sua equipe. Jogou basicamente o segundo turno, destoou num campeonato de pouca técnica e salvou o time do rebaixamento. Como Thiago Neves nem de longe foi unanimidade, outros nomes também foram citados: Zé Rafael e  Rodriguinho.

No ataque, Luan e . O craque gremista jogou quase que só o primeiro turno, pois passou a ser poupado para a Libertadores. Deu show no começo do campeonato. Já Jô foi um pouco mais regular. Sumiu quando o Corinthians esteve mal, mas voltou para decidir quando precisou. Foi um goleador de poucas bolas, mas de muita eficiência. Também foram lembrados Bruno Henrique, Dudu e Henrique Dourado.

Comentários (0)

Escreva um comentário

Comentário
Nome E-mail Website