Inscreva-se

 

 

Fórmula 1

ALEMANHA 2010 – O GOSTO AMARGO (DE NOVO) DO QUASE

Escrito em: 21/07/2018 às 22:54   /   por   /   comentários (0)

Se em 2014 escrevi sobre a emocionante primeira vitória de Rubens Barrichello na F1 em 2000, o episódio de hoje também envolve um piloto brasileiro da Ferrari. Só que desta vez o final não foi dos melhores.

Fernando Alonso e Felipe Massa em 2010.

Fernando Alonso e Felipe Massa em 2010. FOTO: Divulgação Ferrari

O artigo de hoje relembrará o GP da Alemanha de 2010, que, assim como o GP da Áustria de 2002, teve o seu resultado alterado em função de ordens da Ferrari para seus pilotos.

Naquela tarde de 26 de julho, a corrida começou com as Ferraris de Alonso e Massa entre as duas Red Bulls. Vettel, que largou na ponta, se ocupou de atacar Alonso na largada e tal disputa favoreceu Massa, que tomou a ponta com uma bela manobra. Vettel caiu para terceiro. Mas ainda na primeira volta, Hamilton passou as duas Red Bulls.

Largada do GP da Alemanha de 2010.

Largada do GP da Alemanha de 2010. FOTO: motorsport

A primeira volta ainda teve o toque dos dois carros da Toro Rosso, com Alguersuari e Buemi. Entre os brasileiros, Lucas Di Grassi polou de último para 16º, seguido por Bruno Senna. Barrichello caiu em 8º para 11º.

Voltando para a dianteira, Massa não conseguiu abrir distância de Alonso, apesar do bom desempenho dos pneus macios de sua Ferrari. O espanhol tinha 1s5 de vantagem para Vettel.

Com as paradas nos boxes lá pela volta 14, Massa voltou à frente de Alonso, mas sob o ataque do bicampeão e mostrando dificuldades com os pneus duros. A briga entre os dois ficou para a volta 21. Alonso colocou de lado por duas vezes, mas Massa conseguiu manter sua colocação e seu rendimento melhorou com o desgaste dos pneus duros.

“Na volta 48, Massa recebeu a comunicação via rádio: “Fernando Alonso é mais veloz do que você”. No giro seguinte, o brasileiro abriu caminho e, sem combater o companheiro, deixou Alonso passar e garantir seu segundo triunfo na temporada. Massa foi frio ao responder também pelo rádio às instruções da Ferrari. ‘Ok, caras. Boa sorte” – Texto retirado do site Uol Esporte.

O vídeo a seguir mostra esta polêmica manobra.

Alonso venceu facilmente. Massa chegou logo depois, sem ser ameaçado por Vettel, que fechou o pódio. O alemão fez voltas mais rápidas na parte final da prova, mas não foi o suficiente para lhe deixar em condições de dar o bote no brasileiro.

“Poucos minutos depois, o abraço frio e protocolar de Massa em Alonso deixou claro que a dobradinha da Ferrari não significava necessariamente uma tarde de festa para a equipe italiana. Um triunfo constrangido” – Texto retirado do site globoesporte.com.

O que mais causou o gosto amargo para Felipe Massa (e para seus fãs) é que fazia exatamente 1 ano do grave acidente que ele tinha sofrido na Hungria no episódio da mola que se soltou do carro de Barrichello e acertou nele. Era a redenção ideal, com uma vitória que não vinha desde o Brasil em 2008 (e que nunca mais veio). Mas a Ferrari impediu esta história. No final das contas tal manobra não valeu o título para Alonso e a Ferrari: em Abu Dhabi, houve um Petrov no meio do caminho.

Uma imagem vale mais que mil palavras.

Uma imagem vale mais que mil palavras. FOTO: ESPN

Comentários (0)

Escreva um comentário

Comentário
Nome E-mail Website